12.11.13

o ponto certo do silêncio


há silêncios que sonham ser casas
e há palavras-pássaros-pequenos
caídas do ninho antes das asas

depois há o mar onde buscamos
um som
que nos habite o olhar
quando o coração é seda desfiada
pelo tempo
tardio
de um lamento

e quando já nada volta atrás
percebemos que
por vezes
é difícil encontrar 
o ponto certo do silêncio


Rosário Ferreira Alves



3 comentários:

Helena disse...

Não só o ponto certo do silêncio é difícil encontrar... também a palavra certa para quebrar o silêncio!
Ah, como sei disso!
Que belo e sentido poema! Que bom que estás de volta! Refúgios como o teu são atrativos para o nosso olhar sedento de uma bela poesia.
Que sorrisos possam brincar entre as estrelas do teu olhar.
Com carinho,
Helena

heretico disse...

palavra poética - plena.

beijo

Mar Arável disse...

Na verdade
o ponto incerto
Bjs